Configuração do Moodle Universal Cache (MUC)

Configuração do Moodle Universal Cache (MUC)

O que é

O MUC (Moodle Universal Cache) é um tipo de cache e um cache nada mais é do que um repositório de dados, que torna mais fácil e rápido o acesso a estes do que se viessem de sua origem. No entanto, o MUC é um cache voltado para a plataforma Moodle, sua utilização economiza esforço e torna o Moodle mais rápido. Configurar o MUC é uma forma de conseguir separar o cache das diferentes instâncias do seu Moodle, gerando assim mais performance à sua aplicação.

Como configurar

Por padrão o Moodle sempre irá armazenar o cache na base de dados pré-configurada, independente de quantas instâncias estiverem sendo utilizadas, todas apontarão para a mesma base. Assim, configurar o MUC é uma forma de conseguir separar o cache de diferentes instâncias do seu Moodle, gerando assim mais performance à sua aplicação.

O primeiro passo é criar uma base de dados diferente para cada ambiente (ex: uma para o Moodle de homologação e outra para o de produção), dentro do seu servidor de banco de dados.

Com as bases configuradas no seu banco de dados, acesse o painel do Moodle via browser e acesse o seguinte destino:

Administração do Site/Plugins/Caching/Configurações

Após acessar as configurações, procure pelo módulo Redis e clique em Adicionar Instância:

Dentro das configurações do módulo, basta preencher os campos com as informações do seu banco de dados:
Store name: colocar o nome que identificará essa instância
Server: endereço IP do banco de dados em que o Moodle está configurado
Key prefix: o prefixo que esse cache utilizará, ex: prod_ ou hom_

Após preencher esses campos, basta voltar em Configurações, ir até o final da página em Editar Mapeamento, em Aplicação e Sessão selecione a instância que já foi configurada anteriormente e Salvar mudanças.

Agora com o MUC configurado, cada ambiente vai criar seus logs em uma base de dados dedicada, aumentando a performance dos ambientes!

 

Anterior Meetup - Como a transformação digital está afetando a carreira e as ferramentas dos profissionais de T.I
Próxima Instalando o Ceph em um ambiente mononode

About author

Erick Franca
Erick Franca 3 posts

Erick Cesar França Silva atua como Analista de Infraestrutura em Software Livre e DevOps, cursando Análise e Desenvolvimento de Software pela Cruzeiro do Sul. Possui experiência em ferramentas voltadas para aplicação da cultura DevOps e ensino a distância. Acumula experiência em design. Possui expertise como instrutor, aplicando cursos sobre Linux, DevOps e tecnologias Open Source. Detém certificação LPIC1 e ITCerts Devops Essentials.

View all posts by this author →

Você pode gostar também

Infraestrutura TI

Instalação do Cuda 9 em distribuições Linux baseadas no Ubuntu

Se você deseja trabalhar com algoritmos de Machine Learning, provavelmente precisará usar processamento paralelo para acelerar os resultados dos seus algoritmos. Muitos frameworks como por exemplo, o TensorFlow, já possuem

Infraestrutura TI

Conhecendo o kernel Linux pelo /proc (parte 5) – Recursos da memória virtual

No post anterior vimos comportamentos relacionados ao uso de memória de virtual, como a “sobre-alocação” de memória, uso de SWAP, estouro de memória RAM e o que pode ocorrer em

Containers

Usando Skaffold para automatizar seu deploy no Kubernetes

Olá pessoal! A ideia para este post surgiu quando me deparei com o problema, que todos que trabalham ou vão trabalhar com Kubernetes enfrentam: a necessidade de a cada simples