Como modificar recursos existentes com Terraform na Google Cloud

Como modificar recursos existentes com Terraform na Google Cloud

Vimos no post anterior uma introdução ao Terraform e como criar de forma prática e simples uma máquina virtual na cloud da Google – GCP, porém não vimos como realizar modificações em recursos já existentes.
Conforme seu projeto de infraestrutura vai crescendo e seu código sendo alterado em recursos que já existem, é necessário algum tipo de “mecanismo” para que aplique apenas as novas alterações mantendo assim todo o restante. E o Terraform faz isto para nós, detectando quais são estas mudanças que aconteceram no projeto.
O Terraform ao ser executado grava o estado de sua infraestrutura localmente em um arquivo chamado terraform.tfstate em formato JSON. Este arquivo é gerado sempre no diretório que está sendo executado o Terraform e é por ele que os estados do que já existe em sua infraestrutura são mantidos.
Basicamente o Terraform irá ler o seu arquivo terraform.tfstate e verificar se estas informações ainda permanecem, caso isto não aconteça, o Terraform irá mostrar o que deve ser atualizado.

Então, continuando com a nossa infraestrutura anterior…

Vamos realizar pequenos ajustes na máquina virtual que foi provisionada na GCP.

Começando pequeno (sempre), iremos apenas adicionar labels para esta máquina que já existe, então o novo código fonte fica o seguinte:
resource "google_compute_instance" "default" {
  name         = "linux-vm-1"
  machine_type = "f1-micro"
  zone         = "us-central1-a"

  boot_disk {
    initialize_params {
      image = "debian-cloud/debian-9"
    }
  }

  labels = {
    environment = "development"
    distro      = "debian-9"
  }

  network_interface {
    network = "default"
  }
}
Faça o plano de execução para identificar o que irá acontecer com sua infraestrutura:
$ terraform plan
Abaixo está a saída do seu terminal, apenas iremos suprimir o restante do resultado que ficou o mesmo.
Refreshing Terraform state in-memory prior to plan...
The refreshed state will be used to calculate this plan, but will not be
persisted to local or remote state storage.

google_compute_instance.default: Refreshing state... [id=projects/projeto-1/zones/us-central1-a/instances/linux-vm-1]

------------------------------------------------------------------------

An execution plan has been generated and is shown below.
Resource actions are indicated with the following symbols:
  ~ update in-place

Terraform will perform the following actions:

  # google_compute_instance.default will be updated in-place
  ~ resource "google_compute_instance" "default" {
        can_ip_forward       = false
        cpu_platform         = "Intel Haswell"
        deletion_protection  = false
        enable_display       = false
        guest_accelerator    = []
        id                   = "projects/projeto-1/zones/us-central1-a/instances/linux-vm-1"
        instance_id          = "3724819701104257360"
        label_fingerprint    = "42WmSpB8rSM="
      ~ labels               = {
          + "company"     = "4Linux"
          + "environment" = "development"
          + "os-system"   = "debian-9"
        }
        machine_type         = "f1-micro"
        metadata             = {}
        metadata_fingerprint = "b20jSyLni-U="
......
......
......
......
Plan: 0 to add, 1 to change, 0 to destroy.
......
......
......

O sumário final nos apresenta o que será criado, neste caso 0 recursos serão adicionados, 1 recurso será alterado e 0 recursos serão destruídos. Perceba que logo no início do output também é mostrado na saída do terminal que já existe esta máquina e em seguida o seguinte trecho de aviso:

An execution plan has been generated and is shown below.
Resource actions are indicated with the following symbols:
~ update in-place

Ou seja, o Terraform está informando que todas modificações são mostradas com um ~ (sinal de til) no inicio da linha.

Em nosso caso o recurso da instância está sendo alterado mais precisamente onde adicionamos o novo código (labels).

Para prosseguir com a modificação, execute de fato o Terraform para aplicar o código.

$ terraform apply -auto-approve
Com o seguinte resultado:
google_compute_instance.default: Refreshing state... [id=projects/projeto-1/zones/us-central1-a/instances/linux-vm-1]
google_compute_instance.default: Modifying... [id=projects/projeto-1/zones/us-central1-a/instances/linux-vm-1]
google_compute_instance.default: Modifications complete after 8s [id=projects/projeto-1/zones/us-central1-a/instances/linux-vm-1]

Apply complete! Resources: 0 added, 1 changed, 0 destroyed.

O procedimento para qualquer recurso é basicamente o mesmo para alterar de forma incremental.

    • Você cria o recurso inicial que precisa;
    • Faz o plano de execução;
    • Faz aplicação deste recurso;
    • Quando for necessário alterar qualquer atributo deste código, faça o plano de execução;
    • Verifique se a saída está de acordo;
    • Faça aplicação deste novo código.
Para o próximo artigo, iremos criar uma nova rede e utilizar em conjunto com esta nossa máquina virtual, assim iremos entender como funcionam as dependências entre os diferentes recursos no Terraform.
Anterior Domine a Ciência de Dados com o novo curso da 4Linux
Próxima Transformação Digital: A Importância dos Softwares Open Source

About author

Você pode gostar também

Containers

Gerenciamento eficiente de infraestrutura Docker com Portainer.io

O gerenciamento de uma infraestrutura com docker se dá quase que exclusivamente via terminal, mas quando surge a necessidade de apresentar a infraestrutura para a equipe, ou para toda a

DevOps

Domine as principais ferramentas de DevOps e otimize seu fluxo de trabalho

Gitlab: um dos sistemas de controle de versão mais usados e baseado no GIT. Permite criar e gerenciar múltiplas versões de código, fazer comparações e aditar alterações. Puppet: normalmente usado

DevOps

Criando um Container do Docker (Sem o Docker!)

Aprenda na prática como o Docker gerencia seus containers. O intuito deste post é mostrar, na prática como o Docker gerencia seus containers. E qual jeito seria melhor de demonstrar o