Jogando no Linux

Jogando no Linux

Jogar é um excelente passatempo. Pessoas de todos os cantos do mundo se reúnem em grupos, seja para atirar, pilotar, construir, ou simplesmente socializar enquanto salvamos alguns reféns em perigo ou marcamos um gol. Com a chegada da pandemia e a ascensão do home-office, a necessidade de um convívio social cresceu, aumentando muito a busca por jogos. Nós, Linuxers, não queremos ficar de fora, certo? Entretanto, jogar no Linux sempre foi um assunto espinhoso, seja pela quantidade escassa de títulos, ou mesmo pela dificuldade de configuração. Mas será isso mesmo? Isso é o que descobriremos nesse artigo.

HARDWARE UTILIZADO

Em nossos testes, utilizamos um processador Intel i7 3770 com 16 GB de memória e um SSD. Como GPU, utilizamos uma Nvidia GTX 1660. Configuração simples, porém, suficiente para rodar os jogos atuais em configuração média.

DRIVERS

Os drivers proprietários da Nvidia não possuem código-fonte aberto, portanto, não são adotados por padrão na maioria das distribuições. Existe muita discussão no que diz respeito a este assunto, mas não focaremos nisso aqui. Para melhor desempenho, substituímos o driver Noveau pelo driver proprietário da Nvidia. Esse procedimento pode ser realizado através do gerenciador de pacotes da sua distribuição.

DISTRIBUIÇÕES PARA JOGAR

Primeiramente, qualquer distribuição, em teoria, serve para jogar. Porém, algumas distribuições possuem pré-configurações que podem ajudar a atingir resultados melhores de forma muito simples. Quem tem interesse nessa área, sugiro dar uma olhadinha no Pop OS! e no Garuda Linux. Em nossos testes, utilizamos o bom e velho Fedora, na versão 35.

STEAM

É impossível falar em jogos sem falar em Steam. A maior plataforma de distribuição de jogos do mundo está disponível no Linux. A instalação pode ser feita através da Gnome Software.

 

        O Steam possui um catálogo impressionante de jogos nativos para Linux, cerca de 7000 títulos. Você pode conferir a lista completa de títulos suportados aqui.

        Os nomes vão de Counter Strike à Terraria. Em nossos testes, instalamos o jogo de sobrevivência Don’t Starve Together, título nativo para Linux.

O título rodou sem problemas, leve, como um jogo nativo deveria ser. Experiência tranquila, bastando clicar em Instalar e depois em Jogar.

       Porém, uma das melhores funcionalidades do Steam para Linux está no Proton. Trata-se de uma biblioteca, baseada no Wine, que permite executar jogos de Windows no Linux. Mas será que funciona? Para ativá-lo, acesse o menu Steam Play nas configurações.

       

Após ativado, basta reiniciar o Steam para que ele entre em execução. Com o Proton ativo, basta instalar os jogos normalmente, como você faria no Windows. É importante salientar que alguns jogos são incompatíveis com o Proton, confira aqui os títulos suportados.

JOGOS DA LOJA

Diversos games são disponibilizados diretamente na Gnome Software. Em geral, são games mais simples e open-source. Porém, é possível encontrar algumas demos e títulos em desenvolvimento. Como um grande fã de jogos de estratégia, instalei o maravilhoso 0 A.D. Um jogo de estratégia em tempo real (RTS), no velho estilo Age of Empires. O jogo é leve e bem otimizado. Com certeza garante algumas horas de diversão.

LUTRIS

         Segundo os próprios desenvolvedores, o Lutris trata-se de uma plataforma que visa a preservação de jogos. Mas o que isso significa? Significa que o Lutris se propõe a garantir acesso aos seus games, de qualquer plataforma, incluindo consoles, pelos próximos anos. Um pouco confuso? Talvez, mas a ideia é boa. Através do Lutris podemos utilizar no Linux outras lojas do mercado, como a Epic Store, Battle.net, etc.

        O Lutris está disponível nos repositórios padrão do DNF. Bastando executar um “sudo dnf install lutris” no terminal para instalá-lo. Pronto! Agora podemos utilizar a Epic Store no Linux!

Conclusão

Jogar no pinguim já não é uma tarefa difícil. Ao longo da última década, diversas tecnologias surgiram, tornando o Linux um sistema operacional viável para jogos. A tendência é que esse mercado cresça ainda mais, em especial, com a chegada do Steam Deck, que utiliza Arch Linux. Ficaremos de olho.

 

Líder em Treinamento e serviços de Consultoria, Suporte e Implantação para o mundo open source. Conheça nossas soluções:

CURSOSCONSULTORIA

Anterior Vamos aprender Celery?
Próxima Curso de Terraform atualizado para 40h!

About author

Rodrigo Prestes
Rodrigo Prestes 1 posts

Analista Linux, apaixonado por tecnologia e música eletrônica.

View all posts by this author →

Você pode gostar também

Infraestrutura TI

Conhecendo o kernel Linux pelo /proc (parte 4) – comportamentos da memória virtual

No post anterior vimos como o kernel mantem os mapeamentos de memória virtual para memória física e como essa tradução é realizada em tempo de execução pela MMU. Neste post

Big Data

Ambari: crie um cluster Hadoop em minutos

O Apache Ambari é uma plataforma desenvolvida pela Hortonworks que permite  instalar, configurar e monitorar um cluster hadoop em poucos minutos. Neste post irei ensinar como instalar o Ambari em

Infraestrutura TI

MongoDB: como gerenciar dados com noSQL

Dando continuidade na série de MongoDB, após construir um Cluster de MongoDB usando o passo a passo do desse artigo, vamos agora manipular os dados dentro desse banco, ou como