FreeIPA – Controle de acesso

FreeIPA – Controle de acesso

O controle de acesso é uma prática voltada para segurança do ambiente e que visa garantir que somente pessoas autorizadas tenham permissão para visualizar e realizar operações dentro de uma infraestrutura ou aplicação.

Para este processo existem três etapas, sendo elas:

  • Autenticação: nesta etapa é informado qual é o usuário utilizado e também qual é sua credencial. Esta credencial pode ser, por exemplo, uma senha ou até mesmo uma chave privada.
  • Autorização: caso as informações enviadas na etapa de autenticação sejam válidas, neste momento será verificado se este usuário possui a autorização para acesso e utilização deste objeto.
  • Auditoria: por fim, serão coletadas informações sobre quais ações os usuários estão realizando dentro do servidor ou aplicação.

É importante ter uma política bem definida para que pessoas sem autorização não possam acessar e/ou visualizar dados da empresa. Com isso podemos garantir a integridade e a segurança das informações que trafegam em nosso ambiente.

Formas de autenticação

Como mencionado, a etapa de autenticação é composta por dois itens: usuário e credencial. O usuário deve ser único e pode variar de acordo com as configurações definidas em que estamos trabalhando, então pode ser por exemplo, o nome e o sobrenome do funcionário, pode ser o e-mail corporativo, pode ser o CPF dele etc.

Já para a confirmação da credencial, esta pode variar em vários tipos, como senha, chave privada, biometria, entre outros.

Senha

O controle através da senha é o método mais utilizado devido a sua facilidade de configuração e utilização. Neste formato, basta o usuário definir sua senha e utilizá-la para autenticar-se.

Senha com OTP

É possível utilizar o controle de senha e adicionar o modo de duplo fator de autenticação (2FA) na segurança para  gerar tokens aleatórios que devem ser enviados junto com a senha. Este formato é conhecido como “senha descartável” ou One Time Password (OTP).

Chaves

Para acesso em servidores, é possível também realizar uma autenticação através de um par de chaves. Este modo é mais seguro do que uma senha, pois na geração do par de chave é utilizado um mecanismo de criptografia que é praticamente indecifrável enquanto na autenticação através de senha é passível de ataque do tipo brute force.

FreeIPA

O objetivo do FreeIPA é fornecer um ambiente centralizado de gerenciamento de identidade, políticas e auditoria, utilizando uma combinação de vários componentes FOSS como por exemplo:

  • Linux (RHEL Based Linux)
  • 389 Directory Server
  • MIT Kerberos
  • NTP
  • DNS
  • Dogtag Certificate System
  • SSSD

Através dessas ferramentas, o FreeIPA consegue realizar configurações para que através de políticas HBAC (Host Based Access Control) possa ser dito quais servidores determinado usuário poderá acessar e também através da configuração do utilitário SUDO, quais comandos este usuário poderá executar dentro dos servidores.

Centralizador

Com o FreeIPA é possível centralizar em uma única ferramenta a autenticação, a autorização e também o gerenciamento de usuários, grupos e máquinas.

Replicação

É possível criar mais de um servidor do FreeIPA e então criar uma replicação entre eles. Na arquitetura, todos servidores funcionam como se fossem servidores principais, então as informações que são enviadas à um deles, automaticamente é replicada.

Topologia replica

Neste exemplo, temos três servidores que trocam informações entre si, a chave dessa topologia é que cada um desses servidores se encontram em locais diferentes. Dessa forma, o usuário pode usar suas credenciais para acessar sua máquina de trabalho e também os servidores independente do Data Center que estejam localizados.

Leia também

Temos uma série de posts aqui em nosso blog sobre as configurações com o FreeIPA. Não deixe de conferir.

 

Líder em Treinamento e serviços de Consultoria, Suporte e Implantação para o mundo open source. Conheça nossas soluções:

CURSOSCONSULTORIA

Anterior Lançamento do curso Linux Essentials
Próxima Novo curso de Infraestrutura Ágil

About author

Vinicius Felix
Vinicius Felix 5 posts

Vinicius Felix da Silva, atua como Analista de Infraestrutura, é entusiasta em tecnologias de software livre e é formado em Redes de Computadores pelo SENAC. Possui a certificação LPI 1.

View all posts by this author →

Você pode gostar também

Infraestrutura TI

Conheça mais sobre os serviços de Gestão de Riscos e Testes de Intrusão

Tecnologia de informação está cada vez mais relacionada aos processos produtivos e já mudou a forma de fazer negócios. Se a evolução dos setores de TI possibilitou maior produtividade e

Monitoramento TI

Como funciona a descoberta de baixo nível (LLD) no Zabbix?

Descoberta de baixo nível, ou Low-level discovery (LLD), é um processo que automatiza o registro e monitoramento de recursos pelo Zabbix, ele pode fazer a identificação de métricas em sistemas

Infraestrutura TI

Moodle – Descomplicando a instalação

Caro leitor, nesse artigo vamos tentar descomplicar a instalação do ambiente virtual de aprendizado Moodle para quem está iniciando o uso desta plataforma. Para isso, utilizaremos o Vagrant para provisionar