Analisando a Qualidade do Código com SonarQube

Analisando a Qualidade do Código com SonarQube

Dentro da ótica do DevOps e de como implementar agilidade com qualidade, temos os testes automatizados como um dos principais pilares para manter a essência do CI (Continuous Integration), porém apenas esses testes não conseguem garantir que de fato o código terá qualidade. Para remediar essa situação, há ferramentas que promovem a análise do código fonte da aplicação e que, com isso, permite a avaliação dessa qualidade de código. Mas antes de abordamos a parte de ferramenta, vamos entender o que vem a ser a Análise de Qualidade dentro da programação ?

Analise de Qualidade

Em termo gerais, realizar a analise de qualidade em um código fonte é conseguir medir se o código atende requisitos pré definidos para garantir que o código não esteja defasado ou para validar se há redundância de código, por exemplo.

É importante destacar que a qualidade do código irá depender de como a cultura de desenvolvimento está implementada e quais são os critérios de boas práticas que farão o código em questão responde se é possível ou não colocar aquele programa em produção.

Quality Gate

Quality Gate define as políticas de qualidade para o código, baseado em valores definidos em uma estrutura de confiabilidade.

Definindo Quality Gate no SonarQube

Utilizando o Jenkins com SonarQube, a definição do Quality Gate se torna essencial. Pois, o resultado dele que irá permitir ou não que a pipeline tenha continuidade.

Para integrar o Jenkins com o SonarQube, antes leia: Análise SAST com SonarQube

Após instalar e já integrar o Jenkins com o SonarQube, podemos definir um Quality Gate personalizado, com os seguintes passos:

  •  Clique em Quality Gate no menu superior
  • Após isso clicar, no canto esquerdo, em Create
  • Adicionar nome Quality Gate
  • Após isso, já é possível adicionar as Condições do Quality Gate clicando em Add Condition
  • Nesse momento é possível adicionar as regras conforme a cultura desenvolvimento empregadas.
  • Abaixo um exemplo de Quality Gate criado pelo SonarQube.
  • E para finalizar, após criar as métricas é possível defini-la como Default, sendo assim, os projetos,  terão esse Quality Gate como padrão ou também, escolher projetos específicos para ter essas políticas

OU

Sendo assim é possível, além de testar, mediar e registrar a qualidade de qualquer código fonte antes de ir para produção, garantindo a segurança e o valor da sua aplicação.

 

CURSOSCONSULTORIA    CONTATO

Anterior 4Linux lança novo conteúdo preparatório para LPIC-3 - 303
Próxima Virtualização com Vagrant

About author

Yago Ésquines
Yago Ésquines 3 posts

Yago Ésquines, atua como Consultor de TI Pleno em Software Livre, formado em Ciência da Computação pela Universidade Paulista (UNIP) e em progresso na formação em Segurança da Informação pela FATEC São Caetano. Atua com foco em Linux, Cloud, DevOps e DevSecOps, possuindo mais de 5 anos de experiência profissional em Tecnologia da Informação. Detém expertise como instrutor de cursos voltados ao Sistema Operacional Linux, Infraestrutura Ágil, DevSecOps e Kubernetes, além ser Certificado Linux Engineer(LPIC-2) e DevOps Essentials.

View all posts by this author →

Você pode gostar também

Cloud

Terraform #parte5 – Versionando a sua infraestrutura

Deixando um pouco o assunto sobre Corona Vírus de lado, chegamos ao penúltimo post da nossa série de postagens sobre Terraform. Aqui iremos falar sobre como versionar sua infraestrutura utilizando

Infraestrutura

Terraform #parte4 – Criando módulos

Este seria o último capítulo da nossa série de postagens sobre Terraform, mas se podemos também falar sobre versionamento de infraestrutura, acho que vale a pena no aprofundarmos em mais

DevOps

Introdução ao Terraform

Terraform é uma ferramenta de código aberto comumente utilizada para construir, alterar e versionar uma infraestrutura de forma segura e eficiente, através de uma linguagem declarativa. A ferramenta é escrita