Vantagens de um Banco de Dados NoSQL, MongoDB

Vantagens de um Banco de Dados NoSQL, MongoDB

NoSQL refere-se a um banco de dados não relacional. Um banco de dados relacional é um formato de banco de dados rigidamente estruturado, baseado em tabelas, como o MySQL ou o Oracle. Os bancos de dados NoSQL são documentados e permitem que você armazene e recupere dados em formatos diferentes das tabelas. Plataformas Populares NoSQL incluem MongoDB, ElasticSearch e Redis.

As aplicações modernas utilizam e geram tipos de dados complexos e em evolução. Os bancos de dados relacionais não foram projetados para lidar com esse tipo de armazenamento e recuperação de dados. Os bancos de dados NoSQL são mais flexíveis e escaláveis.

Em um Banco de Dados NoSQL, você pode adicionar novos dados sem ter que pré-defini-lo no esquema do banco de dados, permitindo o processamento rápido de grandes volumes de dados não estruturados, semi-estruturados e estruturados.

O esquema dinâmico dos bancos de dados NoSQL aceita prontamente o desenvolvimento ágil, o que requer iterações significativas e rápidas.

Diferenciais de um banco de dados NoSQL

  • Melhor performance – Aborda problemas com escala de grandes volumes de dados relacionais estruturados, ao mesmo tempo em que suporta baixa latência e alto desempenho.
  • Custos reduzidos – O Mongodb, por exemplo, é gratuito, de código aberto, oferece uma arquitetura eficiente e escalonada ao invés de uma arquitetura monolítica cara.
  • Dados aprimorados – Mais flexibilidade para alavancar enormes quantidades de dados não relacionais estruturados, semi-estruturados e desestruturados.
  • Velocidade para o mercado – A programação orientada a objetos permite aos desenvolvedores executar consultas com menos preparação e sem ter que navegar arquiteturas de banco de dados SQL.

Vantagens de um Banco de Dados NoSQLVantagens de um Banco de Dados NoSQL

As Vantagens de um Banco de Dados NoSQL são infinitas, mas agora vamos te mostrar apenas 4 dos benefícios de um banco de dados NoSQL, como o MongoDB.

1 – Escala elástica

Durante anos, os administradores de banco de dados confiaram em aumentar a escala, comprando servidores maiores à medida que a carga do banco de dados aumenta. No entanto, à medida que as taxas de transação e os requisitos de disponibilidade aumentam e, à medida que os bancos de dados se deslocam para a nuvem ou em ambientes virtualizados, as vantagens econômicas de reduzir o hardware tornam-se irresistíveis.

2 – Dados grandes

Assim como as taxas de transação cresceram ao longo da última década, os volumes de dados que estão sendo armazenados também aumentaram massivamente. A capacidade de RDBMS vem crescendo para corresponder a esses aumentos, mas, como nas taxas de transação, as restrições de volumes de dados que podem ser praticamente gerenciadas por um único RDBMS estão se tornando intoleráveis ​​para algumas empresas. Hoje, os volumes de “grandes dados” que podem ser manipulados pelos sistemas NoSQL, superam o que pode ser tratado pelo maior RDBMS.

3 – Adeus DBAs (até mais tarde)

Apesar das muitas melhorias de gerenciabilidade reivindicadas pelos fornecedores de RDBMS ao longo dos anos, os sistemas RDBMS podem ser mantidos apenas com a assistência de DBAs altamente treinados. Os DBAs estão intimamente envolvidos no design, instalação e sintonização contínua de sistemas RDBMS.

Os bancos de dados NoSQL geralmente são projetados desde o início para exigir menos gerenciamento: o reparo automático, a distribuição de dados e os modelos de dados mais simples levam a menores requisitos de administração e ajuste, teoricamente. Na prática, é provável que os rumores da morte do DBA tenham sido ligeiramente exagerados. Alguém sempre será responsável pelo desempenho e disponibilidade de qualquer armazenamento de dados.

4 – Economia

Os bancos de dados NoSQL geralmente usam clusters de servidores baratos para gerenciar os volumes de transações, enquanto o RDBMS tende a depender de servidores caros e sistemas de armazenamento. O resultado é que o custo por gigabyte ou transação por segundo para o NoSQL pode ser muitas vezes menor que o custo do RDBMS, permitindo que você armazene e processe mais dados por um preço muito mais baixo.

Curso de Banco de Dados NoSQLBanco de dados NoSQL, MongoDB

MongoDB é uma base de dados orientada a documentos. Classificada como banco de dados NoSQL, o MongoDB evita a tradicional estrutura de banco de dados relacional em favor de documentos semelhantes a JSON com esquemas dinâmicos, tornando a integração de dados em certos tipos de aplicativos mais fácil e rápido. O MongoDB é um software livre e de código aberto.

O MongoDB armazena dados em BSON. Os campos nos documentos BSON podem armazenar matrizes de valores ou documentos incorporados. No MongoDB, a construção do banco de dados é um grupo de coleções relacionadas. Cada banco de dados possui um conjunto distinto de arquivos de dados e pode conter um grande número de coleções. Uma única implantação do MongoDB pode ter muitos bancos de dados.

Por que usar o MongoDB em vez do MySQL?

Organizações de todos os tamanhos estão adotando o MongoDB porque permite que eles criem aplicativos mais rapidamente, manipule tipos de dados altamente diversos e gerenciem aplicativos de forma mais eficiente em escala. O desenvolvimento é simplificado, pois os documentos MongoDB mapeiam naturalmente para linguagens de programação modernas e orientadas a objetos.

O MongoDB também pode ser dimensionado dentro e entre vários centros de dados distribuídos, fornecendo novos níveis de disponibilidade e escalabilidade anteriormente impossíveis de serem alcançados com bancos de dados relacionais como o MySQL. À medida que as suas implantações crescem em termos de volume de dados, o MongoDB escala facilmente sem tempo de inatividade e sem alterar sua aplicação. Em contraste, alcançar escala com o MySQL requer frequentemente um trabalho de engenharia significativo e personalizado.

Conclusão

O MongoDB é realmente um banco de dados muito vantajoso, e a prova disso é que ele está sendo adotado de forma massiva por diversas empresas em todo o mundo. Se você deseja se tornar um especialista em MongoDB para expandir seus conhecimentos e ficar por dentro do mercado. Inscreva-se agora no Curso de MongoDB para Desenvolvedores e DBAs idealizado pela 4Linux (o curso de MongoDB é focado na administração do banco de dados MongoDB, trabalhando com desenvolvimento web pensando em uma aplicação funcional, trazendo um comparativo e mostrando as diferenças da mesma aplicação em um mundo SQL. Temos cursos de MongoDB online e presencial).

Anterior 4Linux lança curso de DevSecOps e solidifica liderança em cursos para carreira DevOps
Próxima 4Linux presente no evento internacional DevOpsDays Maringá.

About author

Você pode gostar também

Outros assuntos 0 Comentários

Certificações Linux – Um passo a frente nos processos seletivos

Quando entramos no mercado da Tecnologia da Informação sempre escutamos sobre  certificações não importando em que especialização você vai focar, se tu optar por redes vai ouvir falar de CCNA

Outros assuntos 0 Comentários

Certificação: 8 dicas para ter sucesso em exames

Bixo… Se tu quer começar ou avançar sua carreira como profissional de TI, tenho uma notícia e macetes para você conseguir uma certificação e te digo: tem muitas oportunidades de

Outros assuntos 0 Comentários

Software Livre não é software, é serviço

Software Livre ( FOSS ), apesar de ser um software em seu nome e objetivo, do ponto de vista comercial, deve ser tratado como um serviço e não como um

2 Comentários

  1. Guilherme
    Março 24, 14:43 Reply

    Se o MongoDB é melhor com grandes quantidades de dados, deixa a consulta e manipulação de dados mais rápidos, porque muitas empresas ainda utilizam banco de dados relacionais?

    • Alisson Machado
      Abril 10, 13:49 Reply

      Olá Guilherme,

      Isso acontece por que ainda hoje é mais difícil achar pessoas com conhecimento em noSQL e também por causa da quebra de paradigma, são anos usando SQL pra de repente mudar tudo haha, mas o SQL ainda sim vai estar sempre presenta, agora o nosso desafio é saber quando usar um e quando usar outro.

Deixe uma resposta