DEVOPS no dia a dia do Wellinton Pinheiro

DEVOPS no dia a dia do Wellinton Pinheiro

No último dia 3 de setembro aconteceu a prova beta test na sede da 4Linux em SP. Foram mais de 150 inscritos que fizeram a prova de seleção na plataforma Rankdone e os 22 melhores foram selecionados para fazerem a prova.

A área de marketing da 4Linux aproveitou a presença destes profissionais que estão na vanguarda deste mundo DEVOPS aqui no Brasil, e fez algumas entrevistas para conhecermos um pouquinho do mundo destes profissionais e o resultado será publicado na série de entrevistas intitulada: “O DEVOPS no meu dia a dia.”

Nesta entrevista vamos conhecer um pouco do envolvimento do Wellinton Pinheiro com a cultura DEVOPS. Ele trabalha como consultor autônomo e é Arquiteto de Software em sua própria empresa que se chama The Code Inside.

Qual o seu trabalho e como a cultura DEVOPS acontece no seu dia a dia?

Eu trabalho como desenvolvedor e automatizo tudo que posso, desde testes até deploy da aplicação. Trabalho bastante com CI/CD, ferramentas como Git, Jenkins, Gitlab CI, Chef e Ansible. A cultura Devops entra para difundir o conhecimento e uma forma ágil e dinâmica de trabalho. Temos vários repositórios que são acessíveis por todos os devs e sysadmins e tentamos manter lá todos os projetos utilizados para fazer deploy, pipelines ou documentação que deve ser compartilhada entre todos. Incentivamos que as pessoas tentem extrair toda informação que fica na cabeça delas e salve de alguma forma em um repositório.

Quando você entrou para o mundo DEVOPS ?

Eu me interesso pelo assunto há um bom tempo, sempre trabalhei com automação de testes e deploys, com Chef e Jenkins. Venho trabalhando mais forte com isso há 1 ano quando entrei em um time que cuidava das ferramentas para desenvolvedores, ou seja, tudo aquilo necessário para facilitar a vida do desenvolvedor.

O que você achou da certificação DEVOPS do LPI e o foco em ferramentas livres de DEVOPS?

Eu gostei bastante!! Achei muito legal o foco em ferramentas open. A prova foi bem diversificada, com questões de vários assuntos. Achei umas duas questões meio dúbias, mas nada que comprometa a qualidade da prova. Na minha opinião a prova está bem alinhada com a realidade do mercado.

Os cursos da 4linux já estão preparados para a certificação DEVOPS do LPI e a 4Linux acaba de lançar um curso preparatório para a Certificação DEVOPS Master da Exin, mais focado em conceitos do que em ferramentas. Você conhece esta certificação? Pretende também se certificar nela, além da certificação do LPI?

Não conheço essa certificação da Exin e provavelmente não farei a prova.

Que dica você dá para quem quer entrar no mundo DEVOPS?

Acho que quem quer entrar nesse mundo tem que entender o que são os Métodos Ágeis, entender qual a real necessidade conseguir fazer com que a informação flua dentro dos times e da empresa. Acredito ser essencial estudar Git, pelo menos alguma ferramenta de CI e outra de provisionamento, como Ansible, Puppet ou Chef.

Wellinton, agradecemos sua participação.

 

Anterior Semântica em HTML5: mais acessibilidade e SEO em seus projetos
Próxima Palestra Php e Postgresql -Dois elefantes trabalham muito mais!

About author

Daniela Araujo
Daniela Araujo 52 posts

Responsável pela área de marketing da 4linux, mais de 5 anos de experiência em marketing e tecnologia.

View all posts by this author →

Você pode gostar também

DevOps

Rundeck, bom para projetos DevOps

O Rundeck é uma aplicação java de código aberto que automatiza processos e rotinas nos mais variados ambientes, gerenciado via interface gráfica fica extremamente simples de verificar status de execuções,

DevOps

Instalação do Cuda 9 em distribuições Linux baseadas no Ubuntu

Se você deseja trabalhar com algoritmos de Machine Learning, provavelmente precisará usar processamento paralelo para acelerar os resultados dos seus algoritmos. Muitos frameworks como por exemplo, o TensorFlow, já possuem

DevOps

Conheça um pouco do Ansible Galaxy

Durante minhas aventuras como SysAdmin, eu me deparei com a fantástica ferramenta chamada Ansible. Eu me empolguei tanto com a ferramenta que acabei criando um projeto chamado warudo, agora já não