Flask Básico: crie seu primeiro aplicativo

Flask Básico: crie seu primeiro aplicativo

Esse é um post é um breve tutorial de como usar o flask para fazer seu sites e projetos utilizando Python. Você irá criar um aplicativo básico que irá fazer inicialmente uma aplicação que retorna um texto plano, depois retornar um JSON que é o formato das REST APIs e no final a renderização de um conteúdo em HTML, que é o suficiente para entender os fundamentos de uso do Flask.

Sobre a solução

Flask é um microframework Web em Python, sendo assim ele possui somente os recursos básicos para a criação de páginas Webs e APIs, como por exemplo: Renderização de HTML, Rotas, Views e JSON, caso mais coisas sejam necessárias todas elas podem ser instaladas via pip.

Algumas das muitas extensões podem ser encontradas na página oficial.

Mão na massa

A primeira coisa a se fazer é instalar o pacote:

pip install flask

Segue abaixo a estrutura mínima para uma aplicação:

#!/usr/bin/python

from flask import Flask

app = Flask(__name__)

@app.route("/")
def index():
    return "Hello!"

if __name__ == '__main__':
    app.run(debug=True)

Você pode jogar esse código em um arquivo chamado run.py, esse será o arquivo principal da sua aplicação, pois é ele que vamos executar e ele será responsável por chamar os próximos.

Entendendo um pouco do código.

app = Flask(__name__)

Na linha acima é instanciado um objeto da classe Flask, é ele que vamos utilizar para configurar a nossa aplicação e para executá-la com o servidor de testes padrão da ferramenta.

@app.route("/")

É um decorator responsável por interpretar a rota que acessamos, então assim que é acessada a url / como é configurado na linha acima, a função que está abaixo é responsável por enviar uma rota ao navegador.

def index():
    return "Hello!"

É a função que tem como objetivo retornar somente um texto plano como Hello.

if __name__ == '__main__':
    app.run(debug=True)

Essas instruções definem que quando o run.py for executado via linha de comando, o serviço deverá iniciar o seu servidor interno para executar a aplicação, como no construtor foi passado o valor True para a chave debug, o servidor será iniciado no modo debug, assim quando forem feitas modificações no código e elas forem salvas o servidor irá reiniciar automaticamente para que você possa testar o novo código.

Esse é o código mais básico que se pode.

Para acessar a sua aplicação, você pode acessar o endereço:

http://localhost:5000

5000 é a porta padrão do Flask, você pode mudá-la passando o parâmetro port no construtor, deixando ele da seguinte forma:

if __name__ == '__main__':
    app.run(debug=True,port=6543)

Padrão de retorno

Normalmente não retornamos um texto plano para o navegador e sim uma resposta em HTML, JSON ou até mesmo XML em caso de Webservices SOAP.

Para retornar um tipo JSON para o navegador, é necessário fazer o import do módulo jsonify.

Para isso logo após o import coloque uma vírgula e digite jsonify, ficando assim da seguinte forma:

from flask import Flask,jsonify

Esse recurso do Flask recebe como parâmetro um dicionário que será automaticamente convertido como JSON.

Assim mude a função index para ficar da seguinte maneira:

@app.route("/")
def index():
    return jsonify({"message":"Hello Json!"})

Salve o arquivo e veja que o servidor será reiniciado automaticamente, então acesse o navegador e veja como ficou.

Agora caso você queira retornar uma página em HTML, você precisará fazer o import do módulo render_template e isso é feito da mesma maneira em que foi feito o jsonify.

from flask import Flask,render_template

Por padrão será considerado o diretório template na mesmo diretório onde você está executando o arquivo run.py.

Então crie uma pasta template e dentro dela crie um página chamada index.html

Dentro dela você pode colocar o seguinte código:

<h1>Pagina HTML e Flask</h1>

Salve o código.

Agora vamos voltar para o python.

Na função onde você editou o return para jsonify, mude-o agora para render_template e coloque como valor index.html.

O código ficará assim:

@app.route("/")
def index():
    return render_template("index.html")

A solução já imagina que o arquivo html foi colocado dentro de templates, não é necessário passar o caminho completo do arquivo.

Salve o arquivo e teste no navegador novamente.

O Jinja2

O Flask trabalha com uma linguagem de template chamada Jinja2, ela serve para que possamos gerar o nosso arquivo HTML de forma dinâmica, assim é possível passar variáveis com valores no retorno da função e interpreta-los através do Jinja2.

Edite a função index deixando ela conforme o exemplo abaixo:

@app.route("/")
def index():
    nome = "Alisson"
    posts = ["Flask Basico","Flask Intermediario","Flask Avancado"]
    return render_template("index.html",nome=nome,posts=posts)

Talvez esse return tenha ficado um pouco confuso pois usei variáveis com o mesmo nome para os parâmetros chave/valor.

Após a definição de qual será a página html renderizada é possível passar variáveis do tipo dicionário como parâmetros para que elas possam ser utilizadas no nosso arquivo html.

Explicando melhor, quando vemos: nome=nome, isso significa que nome o primeiro, antes do sinal de igual, é a chave de um dicionário.

Então ele pode ser entendido da seguinte forma:

{"nome":}

O segundo nome, depois do sinal de igual é a variável nome declarada dentro da função, que tem o valor Alisson, assim o nosso dicionário ficou da seguinte forma:

{"nome":nome}

Caso eu queira traduzir interpretar o código ele ficou assim:

{"nome":"Alisson"}

E isso será retornado para que o Jinja2 possa utilizar e depois gerar o HTML.

A mesma coisa serve para a variável posts, porém no caso ela é uma lista e não uma string como no caso de nome.

Feito isso, salve o arquivo e agora edite o index.html, deixando ele da seguinte forma:

<h1>Blog do {{nome}}</h1>
<h4>Posts Recentes</h4>
<ul>
<ul>
{% for post in posts %}
<li>{{post}}</li>
{% endfor %}

Salve o HTML também e teste no navegador.

Você verá que as variáveis foram substituídas pelos valores no código, o Jinja2 entende os dicionários que foram passados através da função render_template e pode trazer os valores para o HTML.

Quando temos dicionários simples, como no caso de:

{"nome":"Alisson"}

Você pode chamar a chave nome dentro do html entre esses caracteres {{ variável }}, assim quando o html for carregado irá trazer o valor que corresponde a essa chave.

No caso da lista foi necessário efetuar um laço for para percorrer a lista em python e gerar uma lista em HTML.

No Jinja2 é possível fazer condições utilizando ifs e loopings utilizando for e while.

Caso vocẽ queira saber mais sobre o Jinja2 é só acessar a documentação.

Para saber mais sobre o Flask, você pode consultar a documentação oficial.

Mas vou fazer mais alguns posts explicando como eu utilizo o Flask no meu dia a dia e ensinando vocês a utilizarem também.

Até mais.

Anterior JSON e BSON no MongoDB: para iniciantes
Próxima Vagrant: Crie ambientes de Desenvolvimento Ágil

About author

Alisson Machado
Alisson Machado 5 posts

Desenvolvedor Python e Arquiteto DevOps 8 anos de experiência em projetos FOSS (Free and Open Source Software) e Python; Certificações LPI1, LPI2 e SUSE CLA

View all posts by this author →

Você pode gostar também

Desenvolvimento 0 Comentários

JSON e BSON no MongoDB: para iniciantes

Dando continuidade na série de MongoDB, nesse post farei uma Introdução ao formato “Javascript Object Notation” (JSON), ao BSON e aos primeiros passos com o MongoDB.

Codeception: crie testes automatizados para suas APIs

O uso de APIs para uma comunicação padronizada entre aplicações é cada vez mais comum. Ao utilizar APIs testes precisam ser criados para validar seu funcionamento e garantir a comunicação.

DevOps 1Comments

Git: Adicione ciclos de vida aos seus arquivos

Git é um versionador de código fonte fácil de usar, isso quase todos sabem, entretanto sua experiência de uso pode ser bem confusa em alguns casos. Convido-os a uma breve

0 Comentários

Ainda não há comentários!

Você pode ser o primeiro a comentar este post!

Deixe uma resposta